Roedores Cão-da-pradaria (Cynomys ludovicianus)

Cão-da-pradaria (Cynomys ludovicianus)


Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Rodentia
Subordem: Sciuromorpha
Família: Sciuridae
Subfamília: Xenae
Tribo: Marmotini
Género: Cynomys

Outros nomes:
Prairie dogs (Inglês)
Arizona Black-tailed Prairie Dog (Inglês)
Chiens de prairie (Francês)
Perritos de las praderas (Castelhano)

Origem geográfica:
Este animal tem origem na América do Norte, ocupando uma área geográfica que vai do Alasca até ao norte do México. Apesar de se chamar cão, este animal é mais parecido com um esquilo, tanto em tamanho, como no aspecto físico.
Este simpático animal vive na Natureza em colónias de várias dezenas de indivíduos, podendo, em alguns casos raros, chegar às centenas.

Perseguido
Talvez por ser um animal demasiado curioso, tem sido perseguido e caçado com muita insistência. As suas terras vão sendo invadidas, para se transformarem em terrenos agrícolas, e este simpático animal tem de se retirar, pois quando isso não acontece, é caçado.

Colónias subterrâneas
As colónias desta espécie são subterrâneas, constituídas por um emaranhado de túneis que depois ligam várias salas onde verdadeiramente vivem e guardam os seus alimentos.
Uma toca é apenas uma das muitas portas que estas verdadeiras cidades subterrâneas tem, e tem vária utilizações. Uma delas é funcionar como regulador de temperatura, pois havendo várias tocas, o ar corre, mantendo todo o emaranhado de corredores e salas com uma temperatura ambiente agradável para esta espécie.

Outra, tem a ver com a necessidade de fuga, se algum intruso tentar invadir a colónia, todos os elementos do grupo conhecem as tocas, que funcionam como saídas, o que lhes dá vantagem perante o predador. Por outro lado, quando o perigo vem do céu, e os animais da colónia se sentem ameaçados, existem várias entradas para o refúgio no subsolo.

Na Natureza, esta espécie mantém, em permanência, um vigilante atento a tudo, enquanto os restantes elementos se abastecem de comida, ou brincam no solo. Se algum predador se aproximar, seja um cão, ou uma ave, esse elemento avisa todo o grupo, que em poucos segundos se esconde.

As colónias defendem aguerridamente o seu território, acontecendo por vezes que outros grupos tentam anexá-lo, e aí as lutas acontecem.

Também é frequente um jovem macho solitário tentar juntar-se para se tornar líder do grupo, sendo normalmente expulso pelos outros machos da colónia.

Animal de companhia
Como animal de companhia, a sua popularidade tem aumentado, já que é um animal muito meigo e brincalhão.
A sua reprodução é relativamente fácil, desde que tenha um macho e uma fêmea de proveniências diferentes e adquiridos enquanto jovens.

Alimentação:
Adoram sementes e frutos secos, com facilidade encontra nas lojas da especialidade alimento de qualidade para estes roedores.

Para afiar os dentes, necessitam de troncos fortes e resistentes, que podem ser encontrados nas lojas de animais para esse fim.

Tamanho e esperança de vida:
O Cão da Pradaria pode atingir os 40cm e viver 8 anos.

Estatuto de conservação:
Pouco Preocupante (IUCN 2008)


Notícias
Linguagem do cão-da-pradaria surpreende investigadores
Estados Unidos
Os sons que os cães-da-pradaria emitem podem ser de tal forma complexos que já se põe a hipótese de serem em maior número do que os que os golfinhos ou os macacos usam. Se tal se vier a confirmar, é a segunda linguagem, em termos de sons e vocalizações, depois da dos humanos.

Publicidade


Galeria fotográfica

Classificados
São Paulo, Brasil
Venda de Filhotes
Porto, Portugal
Procuro Cavalo Lusitano
Carnaxide, Portugal
Cão encotrado em Carnaxide


Bicharada.net
Contacto
Login
Privacy policy